Indicadores de desempenho auxiliando na gestão estratégica.

A frase: “O que não é possível medir não é possível gerenciar”, atribuída a Peter Drucker, é uma verdade que afeta o dia a dia das empresas.

A maioria dos empresários de micro e pequenas empresas estão muito envolvidos com as questões operacionais de seu negócio, assim, não conseguem planejar e controlar resultados. Além disso, muitas vezes alegam que não é importante planejar e sim fazer as coisas acontecerem, o que chamamos de “fazejamento”. Essa atitude os transforma em reativos às situações, ao invés de agirem de maneira proativa prevendo e prevenindo o que pode ser antecipado.

Porém, para Koplan (1983), um bom administrador controla o desempenho dos sistemas sob sua responsabilidade com a ajuda de medidas de desempenho. Como esses sistemas se desenvolveram e como evoluíram pode ser mais bem compreendido por meio do conhecimento das forças que os moldaram, sendo raro encontrar-se um único fator como responsável por determinada ação. Normalmente, ocorre uma combinação de fatores e forças que levam a organização a dirigir-se para determinada direção.

Para entender como funciona o negócio e sua relação com o ambiente em que está inserido, são utilizados os indicadores de desempenho. Eles servem para medir o desempenho de qualquer atividade ou área da empresa, das mais simples as mais elaboradas.

O importante é que estes índices gerados sejam utilizados para a tomada de decisão e para a antecipação de problemas ou aproveitamento das oportunidades.

Conforme Mintzberg (1978), mesmo que se entenda mensuração como processo de quantificação, seus efeitos estimulam a ação e a estratégia só existirá e será praticada se for possível identificar um padrão consistente de decisões e ações na organização. Ou seja, os fatores decisivos para que esse comportamento seja alterado e os empreendedores passem a planejar antes de realizar e utilizem de forma assertiva os indicadores de desempenho são a disciplina e as ações. A diferença entre a realização e a decepção é o “colocar em prática”.

Vamos em frente e muito sucesso!

 

Henrique Bilbao.

B&S Consultoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *